A economia em tempo de guerra

2022 chega ao fim dominado pela guerra desencadeada em 24 de Fevereiro.

Na altura do encerramento desta edição, observa-se um impasse na frente de batalha, sem consenso dos especialistas dos maiores institutos internacionais acerca do evoluir do conflito.

A situação afecta a economia mundial, em termos imediatos, estruturais e estratégicos. Como refere Fernando Teixeira dos Santos (págs. 9 a 14), o conflito na Ucrânia “não representa o fim da globalização, mas vai obrigar ao redesenho das redes internacionais de comércio e investimento impondo alterações significativas nos seus fluxos”.

Em Portugal, a guerra provocou graves constrangimentos. Neste número, autores credenciados analisam os efeitos do conflito no nosso país, apontando caminhos visando a minimização dos problemas causados aos cidadãos e às empresas.